Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Tartaruga da Amazônia em época de reprodução é resgatada no sul do Pará - Web Radio Nova Independente

Fale conosco via Whatsapp: +55 093 992020015

No comando: Madrugada light

Das 00:00 às 05:00

No comando: Recanto Sertanejo da Nova!

Das 05:00 às 07:00

No comando: Sertanejo Bom Demais

Das 05:00 às 07:00

No comando: PAINEL SERTANEJO/Locução: Diego Elias

Das 06:00 às 07:00

No comando: CAFÉ COM BENÇÃO

Das 07:00 às 09:00

No comando: Domingo top da Nova!

Das 07:00 às 16:00

No comando: Sabadão da Nova

Das 07:00 às 16:00

No comando: PELA MANHÃ/ Locutor: ELIVALDO FERELO

Das 09:00 às 11:00

No comando: BRASIL SHOW/Locutor: Rone

Das 11:00 às 13:00

No comando: JORNAL VIROU NOTÍCIA

Das 13:00 às 13:30

No comando: PAINEL MPB/Locutor: Diego Elias

Das 13:30 às 14:30

No comando: Nossa Tarde é Show

Das 14:30 às 16:30

No comando: POP SERTANEJO/Locução: Kleber

Das 16:00 às 17:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: Super Night

Das 19:00 às 00:00

No comando: Super Noite da Nova

Das 19:00 às 00:00

No comando: A VOZ DO BRASIL/EBC

Das 19:00 às 20:00

No comando: SAMBRASIL

Das 20:00 às 22:00

No comando: LOVE SONGS/Locução: Kleber

Das 22:00 às 00:00

Tartaruga da Amazônia em época de reprodução é resgatada no sul do Pará

Uma tartaruga-da-amazônia foi resgatada e libertada no Refúgio de Vida Silvestre Tabuleiro do Embaubal, em Senador José Porfírio, no fim de semana. O número é pequeno, mas o significado é grande: o animal havia sido o único enredado em uma armadilha ilegal com 168 anzóis, a qual foi apreendida na Unidade de Conservação antes que capturasse mais tartarugas. A apreensão foi feita pela equipe do Batalhão de Política Ambiental (BPA) e pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio), que fazem a fiscalização e o monitoramento frequente da área.

whatsapp-image-2018-09-13-at-14-06-09-1

Entre os meses de setembro e novembro, diversas espécies de tartaruga escolhem a região do Tabuleiro do Embaubal para a desova. São milhares de animais que vem de diversas regiões do estado para esconder seus ovos na areia das praias do rio Xingu, no sudeste do Pará. A gerente da Região Administrativa do Xingu (GRX/Ideflor-bio), Maria Bentes, conta que as tartarugas têm uma espécie de memória que as faz voltar anualmente ao lugar em que nasceram para colocar seus ovos.

whatsapp-image-2018-09-13-at-14-06-09

São três espécies principais de tartarugas que ocorrem no Tabuleiro do Embaubal: as tartarugas-da-amazônia (Podocnemis expansa), as pitius (Podocnemis sextuberculata) e os tracajás (Podocnemis unifilis). Esses animais fazem ninhos na areia onde colocam os ovos, os quais ficam enterrados até a eclosão. As tartarugas-da-amazônia, espécie mais abundante, põem cerca de 80 ovos. A eclosão acontece entre dezembro e janeiro. “Em anos passados, mais de 30 mil ovos já chegaram a eclodir em um único dia”, conta Maria Bentes.

Durante o período de desova e eclosão das tartarugas, a fiscalização da área, já realizada frequentemente, é intensificada. Ainda segundo Maria Bentes, é preciso garantir que caçadores clandestinos não capturem os animais durante a migração, antes da desova e depois da eclosão, ou mesmo que peguem os ovos que estão enterrados.

Para isso, além da fiscalização presencial, equipes do Ideflor-bio e do BPA também fazem a marcação e o monitoramento dos ninhos feitos pelas tartarugas. Com essas marcações, é possível acompanhar o processo de eclosão dos ovos e ajudar na sobrevivência dos animais até chegarem ao rio.

Educação Ambiental – A educação ambiental é outra forma de combater a caça e a predação das tartarugas em período de desova e eclosão. Na região do Tabuleiro do Embaubal e da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Vitória de Souzel, que o circunda, as ações de educação são feitas pelo Ideflor-bio junto às escolas e comunidades.

Além de palestras e ações lúdicas sobre a importância das tartarugas para o ecossistema, crianças, jovens e adultos também têm a possibilidade de vivenciar de perto o nascimento dos animais. Com o acompanhamento de técnicos do Ideflor-bio, estudantes e seus familiares acompanham a eclosão dos ovos e ajudam as tartaruguinhas a ganharem as águas do rio Xingu.

Em 2018, a educação ambiental também acontecerá durante o período de desova. Maria Bentes conta que, mesmo sendo um momento mais delicado, é importante que as pessoas conheçam de perto a desova das tartarugas, para terem mais consciência do papel que cada um ocupa para a preservação desses animais.

O Tabuleiro – O Refúgio de Vida Silvestre Tabuleiro do Embaubal é uma Unidade de Conservação estadual de aproximadamente quatro mil hectares (cerca 4 mil campos de futebol). Na área ocorre uma das maiores desovas de tartarugas da região amazônica, isso porque apresenta condições ambientais apropriados, como a temperatura da areia. A fim de proteger as praias em que acontece a desova e eclosão dos ovos, o local foi transformado em Unidade de Conservação em 2016.

Deixe seu comentário: