Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Flamengo x Fluminense: semifinal da Taça GB tem sabor de 1ª vez para Abel Braga e Fernando Diniz - Web Radio Nova Independente

Fale conosco via Whatsapp: +55 093 992020015

No comando: Madrugada light

Das 00:00 às 05:00

No comando: Recanto Sertanejo da Nova!

Das 05:00 às 07:00

No comando: Sertanejo Bom Demais

Das 05:00 às 07:00

No comando: PAINEL SERTANEJO/Locução: Diego Elias

Das 06:00 às 07:00

No comando: CAFÉ COM BENÇÃO

Das 07:00 às 09:00

No comando: Domingo top da Nova!

Das 07:00 às 16:00

No comando: Sabadão da Nova

Das 07:00 às 16:00

No comando: PELA MANHÃ/ Locutor: ELIVALDO FERELO

Das 09:00 às 11:00

No comando: BRASIL SHOW/Locutor: Rone

Das 11:00 às 13:00

No comando: JORNAL VIROU NOTÍCIA

Das 13:00 às 13:30

No comando: PAINEL MPB/Locutor: Diego Elias

Das 13:30 às 14:30

No comando: Nossa Tarde é Show

Das 14:30 às 16:30

No comando: POP SERTANEJO/Locução: Kleber

Das 16:00 às 17:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: Super Night

Das 19:00 às 00:00

No comando: Super Noite da Nova

Das 19:00 às 00:00

No comando: A VOZ DO BRASIL/EBC

Das 19:00 às 20:00

No comando: SAMBRASIL

Das 20:00 às 22:00

No comando: LOVE SONGS/Locução: Kleber

Das 22:00 às 00:00

Flamengo x Fluminense: semifinal da Taça GB tem sabor de 1ª vez para Abel Braga e Fernando Diniz

Por Felipe Siqueira e Marcelo Baltar — Rio de Janeiro

O jogo entre Flamengo e Fluminense deste sábado, 19h, no Maracanã, pelas semifinais da Taça Guanabara, marcará o encontro entre Abel Braga e Fernando Diniz. Um embate entre gerações e escolas diferentes, e que terá sabor de primeira vez para ambos os treinadores. Para Abelão, será o primeiro Fla-Flu à frente do Rubro-Negro depois de ter deixado o Tricolor no ano passado; enquanto Diniz disputará pela primeira vez o clássico como técnico.

OS FLA-FLUS DE ABEL

Como treinador, Abel já disputou 24 Fla-Flus. Destes, 21 foram à frente do clube das Laranjeiras, em três passagens distintas. Por lá, vivenciou momentos de fartura, quando comandou a geração campeã brasileira com Fred, Deco e Thiago Neves em 2012.

Mas em sua última passagem teve de que se contentar com um elenco menos qualificado tecnicamente e precisando administrar a insatisfação do grupo com recorrentes atrasos de salário. Neste período, teve clássicos marcantes, como título da Taça Guanabara de 2017 nos pênaltis sobre o rival, a perda do título Carioca na decisão e a goleada no Fla-Flu de Cuiabá.

Abel Braga - Fla x Flu — Foto: André Durão Abel Braga - Fla x Flu — Foto: André Durão

Abel Braga – Fla x Flu — Foto: André Durão

Abel pelo Flu, contra o Fla

  • 4 vitórias
  • 9 empates
  • 8 derrotas

Hoje no Rubro-Negro, Abelão volta a vivenciar as épocas de prosperidade. Sua “dor de cabeça” agora é como encaixar no time estrelas como Diego, Arrascaeta, Gabigol, Burno Henrique e Everton Ribeiro. Além disso, com a boa situação financeira do clube, não há risco de atrasos salariais para tirar a concentração do elenco.

Elenco, por sua vez, mais qualificado do que encontrou em sua última passagem pelo Fla, em 2004. Na ocasião, disputou três Fla-Flus.

Alguns deles, marcantes. Em 1º de fevereiro, Rubro-Negro venceu por 4 a 3 um clássico eletrizante, repleto de viradas. Felipe teve atuação de gala. Nas arquibancadas a torcida embalou o hit “Sorte Grande”, de Ivete Sangalo, que acabou marcando a campanha. Na final da Taça Guanabara, nova vitória rubro-negra, desta vez por 3 a 2.

Abel Braga esteve em 24 Fla-Flus, como treinador. Apenas três como rubrp-negro, como na vitória por 4 a 3 em 2004 — Foto: Acervo O Globo Abel Braga esteve em 24 Fla-Flus, como treinador. Apenas três como rubrp-negro, como na vitória por 4 a 3 em 2004 — Foto: Acervo O Globo

Abel Braga esteve em 24 Fla-Flus, como treinador. Apenas três como rubrp-negro, como na vitória por 4 a 3 em 2004 — Foto: Acervo O Globo

Abel pelo Fla, contra o Flu

  • 2 vitórias
  • 1 derrota

O PRIMEIRO FLA-FLU DE DINIZ

Para Fernando Diniz, Fla-Flus apenas como jogador. Quase todos quando atuava com a camisa tricolor entre 2000 e 2003. O que poucos torcedores recordam é que ele também já esteve do outro lado e, quase, cruzou com Abel.

Em 2003, após deixar o Tricolor, Fernando Diniz defendeu o Flamengo. Foram apenas 12 jogos e um gol. Curiosamente, a estreia aconteceu contra o Fluminense, seu ex-clube. Ele substituiu Fábio Baiano, na vitória por 4 a 1, pelo Campeonato Brasileiro. Em dezembro, deixou a Gávea dias antes de Abelão assumir o Rubro-Negro pela primeira vez.

Fernando Diniz chegou ao Flamengo em 2003 logo após passagem pelo Fluminense e estreou contra o rival: vitória por 4 a 1 — Foto: Acervo O Globo Fernando Diniz chegou ao Flamengo em 2003 logo após passagem pelo Fluminense e estreou contra o rival: vitória por 4 a 1 — Foto: Acervo O Globo

Fernando Diniz chegou ao Flamengo em 2003 logo após passagem pelo Fluminense e estreou contra o rival: vitória por 4 a 1 — Foto: Acervo O Globo

Como técnico, Diniz encarará o clássico pela primeira vez. E tendo uma missão complicada pela frente. Em razão do altíssimo investimento, quem entra como favorito na partida é o rival.

Fernando Diniz, técnico do Fluminense — Foto: EDU ANDRADE/FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Fernando Diniz, técnico do Fluminense — Foto: EDU ANDRADE/FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Fernando Diniz, técnico do Fluminense — Foto: EDU ANDRADE/FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Com elenco mais enxuto, cuja grande estrela, Ganso, ainda não pode estrear, o jovem treinador tentará compensar a diferença técnica entre as duas equipes com organização tática e entrega dos jogadores em campo.

DUELO TÁTICO

O duelo tático, aliás, será uma atração à parte. Por onde passa, Diniz busca introduzir seus conceitos de jogo baseados na posse de bola desde o campo de defesa e compactação para criação de espaços. Nestes primeiros jogos, o estilo tem dado resultado. O Fluminense tem o melhor ataque entre as equipes da Série A e só perdeu uma partida na temporada.

O experiente Abelão, por sua vez, é de uma escola diferente. Ao longo da carreira, ficou conhecido por conseguir extrair o melhor de seus jogadores, seja em termos táticos ou motivacionais. Em seus grandes trabalhos, conseguiu resultados independentemente do tipo de jogo, fosse atacando, fosse retrancado.

Neste ano, no Flamengo, manteve a proposta do time nas últimas temporadas: posse de bola e iniciativa de jogo, em virtude da qualidade técnica da equipe. Abel, no entanto, não se furta de explorar a velocidade e gosta de jogadores velozes.

Abel Braga, hoje no Flamengo — Foto: Alexandre Vidal / Flamengo Abel Braga, hoje no Flamengo — Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Abel Braga, hoje no Flamengo — Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

A curiosidade é saber como as equipes se comportarão no sábado. O Flu de Diniz mudará o jeito de jogar por encarar um time mais qualificado tecnicamente? Caso continue com a proposta de buscar se impor através da posse de bola, como o Fla agirá?

TÉCNICOS JÁ SE ENFRENTARAM UMA VEZ

Abel e Diniz se enfrentaram em apenas uma ocasião como treinadores. No Fluminense x Athletico pelo 1º turno do Brasileirão do ano passado. Na ocasião, quem se deu melhor foi o veterano, vitória de 2 a 0.

Neste sábado, porém, diferentemente daquela vez, não será possível que o experiente treinador e o Fluminense saiam felizes. Após o apito final, apenas um dos lados estará comemorando, o Fla de Abel, ou o Flu de Diniz.

Abel e Diniz eram, respectivamente, técnicos de Fluminense e Athletico, no duelo do 1º turno do Brasileirão 2018 — Foto: Lucas Merçon Abel e Diniz eram, respectivamente, técnicos de Fluminense e Athletico, no duelo do 1º turno do Brasileirão 2018 — Foto: Lucas Merçon

Abel e Diniz eram, respectivamente, técnicos de Fluminense e Athletico, no duelo do 1º turno do Brasileirão 2018 — Foto: Lucas Merçon

Deixe seu comentário: