Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Ministro de Minas e Energia diz que energia no Amapá deve ser normalizada até dia 26 - Web Radio Nova Independente

Fale conosco via Whatsapp: +55 093 992020015

No comando: Madrugada light

Das 00:00 às 05:00

No comando: RECANTO SERTANEJO

Das 05:00 às 07:00

No comando: Domingo top da Nova!

Das 07:00 às 16:00

No comando: Sabadão da Nova

Das 07:00 às 16:00

No comando: CAFÉ COM BENÇÃO

Das 08:00 às 09:00

No comando: Esquenta/ Locutora:

Das 09:00 às 10:00

No comando: VOCÊ QUE MANDA/Locutor:

Das 10:00 às 11:00

No comando: Top Hits/Locutor:

Das 11:00 às 12:00

No comando: JORNAL VIROU NOTÍCIA

Das 13:00 às 13:30

No comando: VELHARIA/Locução:

Das 13:00 às 14:00

No comando: Coração Sertanejo/Locução:

Das 15:00 às 17:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: BOTEQUIM SERTANEJO/Locução: ELENILTON BATISTA

Das 17:00 às 19:00

No comando: Super Night

Das 19:00 às 00:00

No comando: Super Noite da Nova

Das 19:00 às 00:00

No comando: A VOZ DO BRASIL/EBC

Das 19:00 às 20:00

No comando: Top Hits Noturno

Das 20:00 às 21:00

No comando: Velharia Noturno

Das 21:00 às 22:00

No comando: Ponto do Amor/

Das 22:00 às 00:00

Ministro de Minas e Energia diz que energia no Amapá deve ser normalizada até dia 26

20 NOV 2020 – 09H10ATUALIZADO 20 NOV 2020 – 09H05
O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que o fornecimento de eletricidade no Amapá de ser totalmente normalizado até o dia 26 de novembro. A declaração foi dada na última quinta-feira, 19.

O Amapá tem sido impactado por um blecaute parcial desde 3 de novembro.

A afirmação do ministro, durante coletiva de imprensa em Macapá, veio horas após uma decisão judicial que determinou o afastamento temporário da cúpula da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) enquanto durarem investigações sobre o apagão.

“Acreditamos que no dia 26 de novembro um outro transformador que foi transferido de Laranjal do Jari para a subestação Macapá entra em operação. Com isso, teremos disponibilidade de energia superior ao que tínhamos em 3 de novembro para o Amapá. Teremos uma reserva de energia grande”, afirmou o ministro.

Albuquerque não quis comentar em detalhes e disse que ainda não teve acesso à integra da ação judicial. Segundo ele, a consultoria jurídica da pasta e a Advocacia-Geral da União (AGU) deverão defender o governo no caso.”O que tenho dito em nome do governo federal é que essa situação é inaceitável e inadmissível”, afirmou Albuquerque, sobre a longa duração dos problemas de fornecimento.

Cerca de 80% da carga de energia opera no momento no Amapá, após a realização de reparos em um transformador atingido por um incêndio em uma subestação. O fornecimento tem ocorrido em esquema de rodízio por conta da oferta restrita, de acordo com o governo estadual.

O fogo, registrado na noite de 3 de novembro, danificou todos os transformadores na subestação Macapá, que ainda tinha um equipamento em manutenção desde o final do ano passado. O Estado chegou a ficar com apenas 10% do suprimento de energia.

Após um primeiro transformador ter sido reparado e colocado novamente em funcionamento, um outro está sendo levado para o local a partir de uma outra subestação. Albuquerque disse ainda que já a partir do próximo sábado a oferta de energia deverá ser ampliada em alguma medida, com a entrada em operação de geradores termelétricos.

As autoridades têm afirmado que dificuldades logísticas dificultam a normalização da situação no Amapá, o transformador que ajudará a retomar a energia pesa mais de 100 toneladas e precisou ser transportado por uma longa jornada de balsa.

O ministro Albuquerque qualificou os esforços para retomada da energia no Estado da região Norte como “uma operação logística de guerra”, e disse que a entrega do transformador em prazo de 8 ou 9 dias poderá ser considerada “uma vitória muito grande” para a população do Amapá.

 

 

 

Fonte: Terra

Deixe seu comentário: