Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Agente de trânsito acusado de matar esposa é denunciado por corrupção e ameaça em Parauapebas - Web Radio Nova Independente

Fale conosco via Whatsapp: +55 093 992020015

No comando: Madrugada light

Das 00:00 às 05:00

No comando: Recanto Sertanejo da Nova!

Das 05:00 às 07:00

No comando: Domingo top da Nova!

Das 07:00 às 16:00

No comando: Sabadão da Nova

Das 07:00 às 16:00

No comando: CAFÉ COM BENÇÃO

Das 08:00 às 09:00

No comando: MICROFONIA/Locutor: Kelvin Oliveira & Vanessa

Das 09:00 às 10:00

No comando: MANDEI BEM/Locutor: Diego Elias

Das 10:00 às 11:00

No comando: ANTENA MIX/ Locutora: Pam Giacomini

Das 11:00 às 12:00

No comando: MÁQUINA DO TEMPO/Locução:

Das 12:00 às 13:00

No comando: JORNAL VIROU NOTÍCIA

Das 13:00 às 13:30

No comando: Nossa Tarde é Show

Das 13:30 às 15:00

No comando: LAÇO DO PEÃO/Locução:

Das 15:00 às 17:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: RECANTO SERTANEJO/Locução: ELENILTON BATISTA

Das 17:00 às 19:00

No comando: Super Night

Das 19:00 às 00:00

No comando: Super Noite da Nova

Das 19:00 às 00:00

No comando: A VOZ DO BRASIL/EBC

Das 19:00 às 20:00

No comando: AMOR SEM FIM/Locução:Vanessa Medeiros

Das 22:00 às 00:00

Agente de trânsito acusado de matar esposa é denunciado por corrupção e ameaça em Parauapebas

Após a morte da mulher, perícia encontrou na casa cerca de 300 documentos apreendidos por Diógenes Samaritano em blitzs de rotina pelas vias públicas

O Ministério Público do Estado, por meio da 1ª promotora de Justiça Criminal de Parauapebas, Magdalena Torres Teixeira, ofereceu duas novas denúncias contra Diógenes dos Santos Samaritano, desta vez pelo cometimento dos crimes de corrupção passiva, ameaça e prevaricação. Em abril deste ano, o agente de trânsito já havia sido denunciado e preso pelo crime de feminicídio praticado contra sua companheira Dayse Dyana Sousa e Silva, após jogar a mulher do segundo andar da casa. Uma das novas denúncias é decorrente da apreensão de documentos na residência onde morava o casal.

Após ocorrer o crime de feminicídio em 31 de março de 2019, a polícia civil retornou ao imóvel para realizar perícia e no local encontrou cerca de 300 documentos apreendidos pelo agente de trânsito Diógenes Samaritano em blitzs de rotina pelas vias públicas. São Carteiras Nacionais de Habilitação, CRLV (Certificados de Registro e Licenciamento de Veículos) e documentos de Identidade. Com essa descoberta, a promotora de Justiça Magdalena Teixeira requisitou a abertura de inquérito policial para apurar os fatos.

Após ouvir diversas testemunhas vítimas das apreensões de documentos, foi constatado pela Polícia Civil que o acusado se apropriava de maneira irregular, durante as blitzs realizadas, dos documentos de veículos e carteiras dos condutores que estivessem com alguma irregularidade, tais como atraso de IPVA, para somente devolvê-los aos proprietários, após o pagamento de vantagem indevida, exigida previamente.

Os fatos foram comprovados com o relato de diversas pessoas, que compareceram de maneira espontânea para registrar boletins de ocorrência na 20ª Seccional de Polícia e, posteriormente, de ofendidos que tomaram conhecimento das notícias veiculadas através da mídia local, de que na residência do agente de trânsito haviam sido encontrados cerca de 300 documentos. Dependendo da irregularidade e do perfil do condutor, Diógenes cobrava de 100 a 1.000 reais pela devolução.

“Os indícios de autoria e a materialidade do delito são suficientes para justificar a presente denúncia. A autoria encontra-se confirmada nos relatos testemunhais das diversas vítimas, dos agentes de trânsito. A materialidade confirmada por meio dos autos de apreensão de diversas documentos e das fotos dos documentos aprendidos, além dos boletins de ocorrência de diversas vítimas”, frisou Magdalena Teixeira.

Nessa denúncia o réu responderá pelo crime de corrupção passiva, que tem pena prevista de reclusão, de 2 a 12 anos, e por crime continuado, que poderá refletir no aumento da pena.

Ameaça e prevaricação 

A segunda denúncia apresentada pela 1ª promotora de Justiça Criminal de Parauapebas, Magdalena Teixeira, refere-se a fato ocorrido em agosto de 2018, no qual Lucas Pereira Barroso foi abordado em sua motocicleta durante uma blitz de trânsito em Parauapebas pelo acusado Diógenes Samaritano.

Durante a abordagem o agente de trânsito solicitou os documentos do condutor para verificar se estavam regulares e demorou para devolver ao motociclista, mesmo estando todos dentro do prazo de validade.

Ao perguntar se havia algum problemas com a documentação, iniciou-se uma discussão e Diógenes Samaritano foi agressivo e tentou intimidar o condutor, inclusive afirmando que iria aplicar multa, conforme apurado nos depoimentos.

Nessa denúncia a Promotoria acusa o agente de trânsito dos crimes de ameaça e prevaricação, com penas de detenção de 1 a 6 meses e de 3 meses a 1 ano, respectivamente.

Deixe seu comentário: