Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Brasil tem média de mortes acima de 3 mil novamente - Web Radio Nova Independente

Fale conosco via Whatsapp: +55 093 99244-3397

No comando: Madrugada light

Das 00:00 às 05:00

No comando: RECANTO SERTANEJO

Das 05:00 às 07:00

No comando: Domingo top da Nova!

Das 07:00 às 16:00

No comando: Sabadão da Nova

Das 07:00 às 16:00

No comando: CAFÉ COM BENÇÃO

Das 08:00 às 09:00

No comando: Esquenta/ Locutora:

Das 09:00 às 10:00

No comando: VOCÊ QUE MANDA/Locutor:

Das 10:00 às 11:00

No comando: Top Hits/Locutor:

Das 11:00 às 12:00

No comando: JORNAL VIROU NOTÍCIA

Das 13:00 às 13:30

No comando: VELHARIA/Locução:

Das 13:00 às 14:00

No comando: Coração Sertanejo/Locução:

Das 15:00 às 17:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: BOTEQUIM SERTANEJO/Locução: ELENILTON BATISTA

Das 17:00 às 19:00

No comando: Super Night

Das 19:00 às 00:00

No comando: Super Noite da Nova

Das 19:00 às 00:00

No comando: A VOZ DO BRASIL/EBC

Das 19:00 às 20:00

No comando: Top Hits Noturno

Das 20:00 às 21:00

No comando: Velharia Noturno

Das 21:00 às 22:00

No comando: Ponto do Amor/

Das 22:00 às 00:00

Brasil tem média de mortes acima de 3 mil novamente

SITUAÇÃO DRAMÁTICA

A situação crítica do país pode ser ilustrada pela sequência de dias com média móvel em níveis altíssimos.

 sexta-feira, 02/04/2021, 21:07 – Atualizado em 02/04/2021, 21:21 –  Autor: FOLHAPRESS

 

O Brasil registrou 2.807 mortes pela Covid e 69.662 casos da doença, nesta sexta-feira (2). Apesar da aparente redução em relação a dias anteriores, a variação é esperada por causa do feriado, quando costuma haver atrasos de notificação de óbitos nas secretarias de saúde.Com a redução de mortes, houve também uma queda na média móvel de óbitos, que agora é de 3.006, um valor ainda muito elevado. O recorde na média, 3.119, havia ocorrido na quinta, pelo sétimo dia seguido.

A situação crítica do país pode ser ilustrada pela sequência de dias com média móvel em níveis altíssimos. Ela se encontra há 17 dias acima de 2.000 mortes por dia e há 72 dias acima de 1.000. No dia 1º de fevereiro, o Brasil tinha 225.143 mortes por Covid desde o início da pandemia. Pouco mais de dois meses depois, outros mais de 100 mil brasileiros morreram pela doença.

A média é um instrumento estatístico que busca suavizar variações que ocorrem nos dados, como em finais de semana e feriados. Nesses dias, costumam ocorrer atrasos de notificação de mortes nas secretarias de saúde.

Os dados do país, coletados até as 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S. Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do novo coronavírus. As informações são coletadas diariamente com as secretarias de Saúde estaduais.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Deixe seu comentário: