Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Defesa de acusados de organizar ‘ovada’ contra Helder Barbalho alega 'ameaça à livre manifestação' - Web Radio Nova Independente

Fale conosco via Whatsapp: +55 093 99244-3397

No comando: Madrugada light

Das 00:00 às 05:00

No comando: RECANTO SERTANEJO

Das 05:00 às 07:00

No comando: Domingo top da Nova!

Das 07:00 às 16:00

No comando: Sabadão da Nova

Das 07:00 às 16:00

No comando: CAFÉ COM BENÇÃO

Das 08:00 às 09:00

No comando: Esquenta/ Locutora:

Das 09:00 às 10:00

No comando: VOCÊ QUE MANDA/Locutor:

Das 10:00 às 11:00

No comando: Top Hits/Locutor:

Das 11:00 às 12:00

No comando: JORNAL VIROU NOTÍCIA

Das 13:00 às 13:30

No comando: VELHARIA/Locução:

Das 13:00 às 14:00

No comando: Coração Sertanejo/Locução:

Das 15:00 às 17:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: BOTEQUIM SERTANEJO/Locução: ELENILTON BATISTA

Das 17:00 às 19:00

No comando: Super Night

Das 19:00 às 00:00

No comando: Super Noite da Nova

Das 19:00 às 00:00

No comando: A VOZ DO BRASIL/EBC

Das 19:00 às 20:00

No comando: Top Hits Noturno

Das 20:00 às 21:00

No comando: Velharia Noturno

Das 21:00 às 22:00

No comando: Ponto do Amor/

Das 22:00 às 00:00

Defesa de acusados de organizar ‘ovada’ contra Helder Barbalho alega ‘ameaça à livre manifestação’

EM TUCURUÍ

21 MAI 2021 – 09H00ATUALIZADO 21 MAI 2021 – 10H16
A defesa de três homens presos acusados de associação criminosa por planejarem “ovada” em Tucuruí, na região sudeste do Pará, contra o governador Helder Barbalho (MDB), entrou com pedido de habeas corpus pedindo a liberdade dos suspeitos. A alegação da defesa foi que houve “cerceamento de direito constitucional de livre manifestação” e “constrangimento ilegal”.

O trio foi preso na manhã da última quinta-feira, 19, após mandados de prisão preventiva e busca e apreensão, serem expedidos pela Vara Criminal da Comarca de Tucuruí. No pedido de habeas corpus de defesa, é destacado que os três homens que tiveram prisão autorizada “não possuem processos criminais em curso” e que “não há qualquer mínimo indício (…) de atividades criminosas como forma de sustento; e muito menos que ofereçam risco à sociedade, a ordem pública, ou a investigação em curso; menos ainda de fuga ou de obstrução por qualquer meio a ação da justiça”.

Segundo a Polícia Civil, os acusados planejaram atos de vandalismo e foram acusados, no inquérito policial, de associação criminosa na prática de ataques à honra por meio de mensagens nas redes sociais. A Ordem dos Advogados do Pará (OAB/PA) então reagiu às prisões, acionando a comissão de direito constitucional.

 

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o Whatsapp do Portal Roma News
(91) 98469-4559ou clique aqui e fale conosco

Deixe seu comentário: