Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

MP diz que Alckmin recebeu R$ 11,3 milhões da Odebrecht para campanhas eleitorais - Web Radio Nova Independente

Fale conosco via Whatsapp: +55 093 992020015

No comando: Madrugada light

Das 00:00 às 05:00

No comando: RECANTO SERTANEJO

Das 05:00 às 07:00

No comando: Domingo top da Nova!

Das 07:00 às 16:00

No comando: Sabadão da Nova

Das 07:00 às 16:00

No comando: CAFÉ COM BENÇÃO

Das 08:00 às 09:00

No comando: Esquenta/ Locutora:

Das 09:00 às 10:00

No comando: VOCÊ QUE MANDA/Locutor:

Das 10:00 às 11:00

No comando: Top Hits/Locutor:

Das 11:00 às 12:00

No comando: JORNAL VIROU NOTÍCIA

Das 13:00 às 13:30

No comando: VELHARIA/Locução:

Das 13:00 às 14:00

No comando: Coração Sertanejo/Locução:

Das 15:00 às 17:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: BOTEQUIM SERTANEJO/Locução: ELENILTON BATISTA

Das 17:00 às 19:00

No comando: Super Night

Das 19:00 às 00:00

No comando: Super Noite da Nova

Das 19:00 às 00:00

No comando: A VOZ DO BRASIL/EBC

Das 19:00 às 20:00

No comando: Top Hits Noturno

Das 20:00 às 21:00

No comando: Velharia Noturno

Das 21:00 às 22:00

No comando: Ponto do Amor/

Das 22:00 às 00:00

MP diz que Alckmin recebeu R$ 11,3 milhões da Odebrecht para campanhas eleitorais

LAVA JATO

31 JUL 2020 – 08H40ATUALIZADO 31 JUL 2020 – 08H57
O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) virou réu na Justiça Eleitoral de São Paulo e vai responder agora pelos crimes de caixa dois, corrupção e lavagem de dinheiro. A denúncia apresentada pelo Ministério Público (MP) foi aceitanesta quinta-feira, 30, pelo juiz Marco Antonio Martin Vargas, da 1ª Zona Eleitoral.

A acusação contra o ex-governador e candidato do PSDB à Presidência da República em 2018 foi apresentada no âmbito da Lava-Jato eleitoral paulista.

No despacho, o magistrado escreveu que constatou “presentes indícios da ocorrência dos crimes de falsidade ideológica eleitoral, corrupção passiva e lavagem de dinheiro” por parte dos denunciados.

Além de Alckmin, Marco Antonio Monteiro, ex-tesoureiro do PSDB e ex-secretário de planejamento do governo de São Paulo, e seis delatores se tornaram réus.

A denúncia do MP afirma que Alckmin recebeu R$ 2 milhões da Odebrecht na campanha ao Palácio dos Bandeirantes em 2010 e R$ 9,3 milhões quando disputou a reeleição, em 2014. De acordo com os investigadores, além da delação de ex-executivos da Odebrecht, também foram obtidas provas em sistemas de informática e extratos telefônicos.

Os crimes teriam sido cometidos como contrapartidas às obras do Metrô e do Rodoanel, que liga diversas estradas no estado.

Fonte: Extra.

Deixe seu comentário: