Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

PF faz operação no Amapá e Pará contra grupo suspeito de fraudes financeiras Organização criminosa era especial - Web Radio Nova Independente

Fale conosco via Whatsapp: +55 093 992020015

No comando: Madrugada light

Das 00:00 às 05:00

No comando: Recanto Sertanejo da Nova!

Das 05:00 às 07:00

No comando: Sertanejo Bom Demais

Das 05:00 às 07:00

No comando: PAINEL SERTANEJO/Locução: Diego Elias

Das 06:00 às 07:00

No comando: CAFÉ COM BENÇÃO

Das 07:00 às 09:00

No comando: Domingo top da Nova!

Das 07:00 às 16:00

No comando: Sabadão da Nova

Das 07:00 às 16:00

No comando: PELA MANHÃ/ Locutor: ELIVALDO FERELO

Das 09:00 às 11:00

No comando: BRASIL SHOW/Locutor: Rone

Das 11:00 às 13:00

No comando: JORNAL VIROU NOTÍCIA

Das 13:00 às 13:30

No comando: PAINEL MPB/Locutor: Diego Elias

Das 13:30 às 14:30

No comando: Nossa Tarde é Show

Das 14:30 às 16:30

No comando: POP SERTANEJO/Locução: Kleber

Das 16:00 às 17:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: Jornada Esportiva da Nova!

Das 16:00 às 19:00

No comando: Super Night

Das 19:00 às 00:00

No comando: Super Noite da Nova

Das 19:00 às 00:00

No comando: A VOZ DO BRASIL/EBC

Das 19:00 às 20:00

No comando: SAMBRASIL

Das 20:00 às 22:00

No comando: LOVE SONGS/Locução: Kleber

Das 22:00 às 00:00

PF faz operação no Amapá e Pará contra grupo suspeito de fraudes financeiras Organização criminosa era especial

 por Wilson Soares

Agentes da Polícia Federal (PF) cumprem nesta quarta-feira (28) cinco mandados de prisão temporária e cinco de busca e apreensão em Macapá e Barcarena, no Pará, referentes a “operação Rapina”, que investiga um grupo criminoso que atuava com saques fraudulentos de precatórios da Justiça Federal do Amapá.

A corporação informou que as diligências estão em andamento e não deu detalhes sobre o nome dos presos e a quantidade de mandados cumpridos. Precatórios, que são valores decorrentes da condenação de órgãos públicos, eram sacados de forma fraudulenta com base em documentos falsos de beneficiários.

Para dar base ao crime, os valores eram sacados a partir de falsas procurações emitidas do mesmo cartório em Barcarena. A investigação iniciou após notícia crime enviada pela Caixa Econômica que idenficou dois pagamentos irregulares de precatórios judiciais.

Os investigados, de acordo com o crime, poderão responder por crimes de estelionato, falsidade ideológica, falsificação de documento público, uso de documento falso, falso reconhecimento de firma ou letra e associação criminosa, com penas que podem chegar a 21 anos de prisão.

Deixe seu comentário: